Educar é Prevenir acontece esta semana na Escola Ayrton Senna

A equipe do projeto ‘Educar é Prevenir’, do Núcleo de Promoção e Prevenção e Tráfico de Pessoas da Procuradoria Especial da Mulher, da Assembleia Legislativa do Estado de Roraima, entregou nesta segunda-feira, 7, os banners, cartazes, filmes e os panfletos que serão utilizados durante esta semana para capacitar o corpo docente e discente da instituição, quanto ao tema tráfico de pessoas para fins de exploração sexual.

Essa é a 18ª unidade de ensino que recebe a capacitação. Faltam ainda seis escolas e até o mês de julho esse projeto piloto, que tem trazido ganhos significativos para a Rede de Proteção ao Tráfico de Pessoas, será concluído. A coordenação do Núcleo já estuda a continuidade desse trabalho também nas escolas localizadas na área indígena.

Especialista nessa área de violência, a coordenadora do Núcleo, Socorro Santos, garante que em todas as escolas existe algum caso envolvendo abuso sexual. O trabalho do Educar é Prevenir tem a finalidade conscientizar as pessoas para essa realidade, inibir esse tipo de crime e mostrar como agir diante do fato consumado.

“A cada escola visitada há o empoderamento por meio de informação que atinge do gestor ao porteiro, que passam a conhecer a rede de políticas públicas que podem auxiliar a escola ao se verem diante de um caso. Representantes dessa rede de atendimento, no último dia do evento, participam de uma mesa-redonda com professores e alunos”, explicou.

Na Escola Ayrton Senna recentemente houve um caso desse tipo de crime, mas graças a ação enérgica da equipe pedagógica, o desfeche foi de um final feliz. O caso em andamento está sob sigilo. “Soubemos desse caso, que foi muito bem atendido pela escola, que fez o encaminhamento correto. E o que melhor, a família não fechou para o pacto de silêncio, pelo contrário, apoiou e ficou do lado da vítima. Na maioria das vezes essa situação acontece de outra forma”, afirmou.

A partir desta terça-feira, 8, até sexta-feira, 11, a equipe do Educar é Prevenir vai capacitar os funcionários da escola, e os professores vão repassar esse conhecimento aos alunos, que serão multiplicadores dessas informações junto aos demais colegas. No último dia, sexta-feira, das 16h às 17h30, será realizada uma roda de conversa para apresentação dos trabalhos, com a presença de autoridades locais.

Para o diretor da Escola Ayrton Senna, Izerbledison Franco Souza, o projeto é importante porque trata de um assunto que é possível acontecer no ambiente escolar. “Justamente por isso não podemos estar de fora, porque todo conhecimento a mais sobre essa temática é muito importante, assim como toda intervenção neste sentido feita por pessoas especializadas e acostumadas a lidar com esse tipo de situação. O fato de trazerem a experiência e o conhecimento para compartilhar conosco dentro do ambiente escolar, facilitará nosso trabalho, quando a gente se deparar com uma situação dessa, pois teremos mais elementos e subsídios para agir. Recebemos esse projeto com muito carinho e orgulho, que vai nos capacitar dentro dessa temática, afinal, esse tipo de crime é lamentável, mas é recorrente e pode acontecer dentro do ambiente escolar e a comunidade tem que estar preparada”, disse o gestor.

 Fonte: SupCom ALERR

Deixe um comentário