CHAME e ATERR são parceiros no desenvolvimento do projeto ‘Fale Sem Medo’

Para fortalecer o combate à violência contra mulheres a ATERR (Associação de Travestis, Transexuais e Transgêneros do Estado de Roraima) lançou em parceria com o Chame (Centro Humanitário de Apoio a Mulher), da Procuradoria Especial da Assembleia Legislativa de Roraima, o projeto ‘Fale sem medo, impunidade fortalece a violência’ e a campanha ‘Não importa a língua, cor e raça, quem ama cuida’. O evento de lançamento do projeto ocorreu na tarde desta quarta-feira, 23, no Posto de Saúde do bairro Centenário, localizado na rua Brésia S/N.

Representando o Chame, a assistente social Lielma Tavares explica como vai funcionar a parceria. “Durante os seis meses de duração do projeto vamos participar desses eventos realizados pela ATERR e também atender as vítimas de violência que precisarem dos serviços do Centro. Durante as intervenções que elas irão fazer em diferentes pontos da cidade, vamos levar conhecimentos sobre a Lei Maria da Penha e todos os serviços disponíveis no Chame. Tudo isso para que elas possam ser amparadas”, esclareceu.

A presidente da ATERR, Kelly Sales, afirma que a realização dos trabalhos só foi possível por meio Fundo Elas [instituto independente que se dedica com exclusividade ao protagonismo e ao avanço dos direitos das mulheres]. “Vamos realizar intervenções e ações de panfletagens sobre os tipos de violências contra as mulheres. Faremos visitas em salões de beleza, as profissionais do sexo. Onde tiver mulher estaremos lá”, adiantou.   

Rebeca Marinho é uma das militantes da causa e considera importante o trabalho, principalmente para que essas mulheres fiquem bem informadas sobre os seus direitos. “Iremos aos pontos de prostituição, unidades básicas de saúde, órgãos públicos e privados na tentativa de diminuir a violência contra as mulheres. A parceria com o Chame servirá principalmente para atendimentos, já que oferece o apoio psicológico e jurídico que necessitamos. É um laço fundamental”, visualiza.  

As visitas nas localidades previstas durante o período de atuação do projeto devem iniciar ainda esta semana. No ato das abordagens serão distribuídos materiais informativos sobre como a violência se manifesta e cartilhas sobre a Lei Maria da Penha. A Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (DEAM), e demais órgãos de proteção também são parceiros do projeto.

Fonte: SupCom ALERR

Deixe um comentário