Estácio promove Maratona Estudantil de Programação entre alunos de escola pública

    Com a intenção de descobrir novos talentos na área de computação e despertar o interesse de jovens na prática da programação o curso de Computação do Centro Universitário Estácio da Amazônia está promovendo nesta terça-feira, 05, das 14h às 15h a Maratona Estudantil de Programação. A ação será realizada no laboratório de Computação da Estácio com a participação dos alunos do ensino médio do Colégio Militar Estadual Irmã Maria Parodi, localizado na zona Oeste de Boa Vista.

    O evento faz parte de um projeto de extensão da Estácio chamado “Rede Digital Estácio” que possui o intuito de levar conhecimento sobre as tecnologias digitais para a comunidade. O coordenador do curso de Computação da Estácio, Ângelo Freire, disse que a ideia da maratona de programação veio dos próprios acadêmicos da instituição participantes do projeto de extensão.

    “Os discentes monitores resolveram aplicar essa maratona para destacar os alunos com melhor desempenho na programação e assim despertar interesses pela área da computação. A turma é composta por 17 alunos e irão se dividir em equipes de 3 pessoas. Cada grupo terá que resolver problemas de lógica de programação numa plataforma online. O grupo que resolver os problemas em menor tempo será o vencedor e ganhará medalha e troféu”, explicou o coordenador.

    A Maratona marca o encerramento das atividades do curso “Start Coding: ensinando programação” iniciado no dia 15 de abril, ministrado por discentes de Computação da Estácio. “Os alunos participantes deste curso irão buscar desenvolver as técnicas que aprenderam e aplicá-las na maratona estudantil na resolução dos problemas. O conteúdo do curso está relacionado à linguagem Python utilizada para interpretar códigos de programação”, esclareceu Ângelo.

    De acordo com o coordenador, enquanto instituição de ensino superior a Estácio possui o papel de promover a extensão universitária no sentido de levar a sociedade em geral conhecimento sobre estudos científicos que elevem, compartilhem e democratizam a informação.

    “Vimos a importância de desenvolver capacidades cognitivas resolução de problemas lógico matemáticos, despertando o interesse a estudos voltados para a linguagem de programação seja no desenvolvimento de aplicativos e sites ou até mesmo na busca de soluções para problemas de diversas áreas do conhecimento”, completou Ângelo Freire, coordenador do curso de Computação da Estácio.

    Deixe um comentário